A Terapia com Cristais e a Joalheria

Atualizado: 11 de fev. de 2021

O uso terapêutico de cristais se fundamenta nos benefícios que os minerais trazem ao campo energético do nosso corpo. O contato feito com um cristal, permite a nossa conexão com a vibração natural da pedra escolhida, sendo que cada pedra ressoa em uma energia única e característica.


O que torna a energia dos cristais tão única e especial, é o fato de que os minerais representam a matéria de maior estabilidade e organização encontrada na natureza. Em termos científicos, pode-se dizer que possuem o menor estado de entropia possível, ou seja, o menor estado de desorganização físico-química que uma matéria pode ter. É precisamente a constância e a regularidade vibracional que há no cristal que o torna um potencial de cura, por poder harmonizar frequências desreguladas dentro de nós.


Sem que ainda se conhecesse a natureza por trás da capacidade terapêutica dos minerais, registros apontam que já no período paleolítico eram usados como adornos e amuletos. No entanto, foi no antigo Egito que foram relatadas as primeiras escritas sobre a cura através dos cristais. Mais tarde, no império romano, o naturalista Plínio e outros estudiosos escreveram a respeito de uma medicina apoiada pelo uso dos minerais.

Sabe-se que a proximidade com um cristal permite que o seu campo eletromagnético entre em contato com nosso organismo. Em nós, esse campo vibracional estabelecido poderá influenciar:

· o fluxo energético através de nossos meridianos;

· a atividade e o alinhamento de nossos chakras;

· o estímulo elétrico de nossos impulsos neuronais;

· a atividade de nossas glândulas hormonais;

· o metabolismo celular e, consequentemente, o funcionamento do organismo como um todo.

O uso terapêutico dos cristais pode ser feito de muitos modos. Através da joalheria, tem como grande vantagem a possibilidade de se ter o mineral em contato próximo com o corpo, ao longo do dia. Além disso, a joalheria traz ainda o beneficio da beleza, do cuidado e da autoestima, não deixando assim de ser terapêutica por si só.


A escolha da pedra pode ser voluntária, com base nas necessidades próprias do portador, ou pode ser intuitiva. A intuição se mostra uma grande aliada dentro da cristaloterapia, pois não é incomum que sejam os minerais a escolher seus portadores. O valor dentro disso pode ser compreendido pelo fato de que, muitas vezes, nós indivíduos não temos claro o que devemos curar dentro de nós para ressignificar nossos obstáculos e, assim, alcançar nossos objetivos e sonhos.


Referências bibliográficas:

1. Gienger, M. 2006. The Healing Crystal First Aid Manual. Scotland: Earthdancer Books.

2. Truter, I. 2006. Crystal Healing and Gem Therapy: Using energy vibrations to heal and harmonise. South African Pharmaceutical Journal complementary and alternative medicine, 73 (8): 54-57.

19 visualizações0 comentário